> Galería de Fotos (2 elementos)


2 Medias
   > Artigos relacionados
   > Edupédia

EV
Salazar, António de Oliveira
Vimieiro, Portugal 1889 - Lisboa, Portugal 1970
político português. Nascido no seio de uma família de modestos lavradores, estudou Direito em Coimbra (1914) e especializou-se em Economia Política, tendo lecionado nesta cadeira como professor universitário. Deputado católico desde 1921, foi nomeado por Carmona ministro das Finanças em 1926 e a partir de 1928 foram-lhe outorgados poderes extraordinários. Assumiu também, em 1932, a presidência do Conselho, que manteve de forma ininterrupta durante 36 anos, até 1968, sem chegar a chefe de Estado. Em 1933, promulgou uma nova Constituição, que fundava o Estado Novo e transformava Portugal em uma república unitária e corporativa com duas câmaras, a Assembleia Nacional, renovada a cada quatro anos por sufrágio, praticamente restrito, e a Câmara corporativa. Salazar aboliu o direito à greve, organizou verticalmente os sindicatos e as corporações e criou os Tribunais do Trabalho, assim como diversas instituições de assistência e provisão social. Constituiu um regime autoritário ao serviço da direita conservadora e católica. Apoiou Franco durante a Guerra Civil Espanhola e, embora fosse um fervoroso admirador das potências do Eixo, manteve-se neutro durante a II Guerra Mundial, devido às suas relações com o Reino Unido. Após o conflito conseguiu que Portugal aderisse à OTAN. Em 1961, teve de fazer frente à revolta das colônias africanas contra a metrópole, que custou a Portugal importantes perdas de homens e meios, além de provocar uma crescente insatisfação popular, inutilmente reprimida pela polícia (PIDE). Em 1968, gravemente doente, deixou o poder nas mãos de Marcelo Caetano.

Subir