> Galería de Fotos (2 elementos)


2 Medias
   > Artigos relacionados
   > Edupédia

EV
Gaulle, Charles de
Lille, França 1890 - Colombey-les-Deux-Églises, França 1970
general e estadista   francês. Começou a sua carreira militar (1913) às ordens do coronel Pétain. Alguns dos seus escritos, nos quais propugnava um exército profissional e uma estratégia baseada na mobilidade dos meios couraçados e na aviação, provocaram confrontos com altos-comandos do exército francês. Coronel, quando da deflagração da II Guerra Mundial, obteve grandes êxitos ao comando de uma divisão couraçada e, em maio de 1940, foi promovido a general. Foi nomeado por Reynaud subsecretário de Estado para a Defesa Nacional e para a Guerra. Quando o gabinete Pétain assinou um armistício com a Alemanha, refugiou-se em Londres e em 18 de junho de 1940 transmitiu por rádio aos franceses a proclamação a favor da resistência contra o invasor. Tentou reunir sob as suas ordens os soldados e as colônias leais à França, e depois de várias campanhas na África, foi nomeado em 1943 presidente do Comitê Francês de Libertação Nacional, o governo provisório francês. Em 25 de agosto de 1944, De Gaulle entrou em Paris onde dirigiu um governo de concentração até 1946. Opôs-se à constituição da IV República e, em 1947, fundou o partido Rassemblement du Peuple Français (RPF), que não conseguiu a maioria em 1951. Durante a crise da Argélia, De Gaulle foi eleito para formar governo (1958). Em setembro do mesmo ano, aprovou-se uma nova Constituição por referendo, e em dezembro, o partido gaullista (Union pour la Nouvelle République, UNR) obteve a maioria nas eleições legislativas e De Gaulle foi escolhido presidente da V República. Apoiado pela vitória nas eleições legislativas, De Gaulle pôde pôr em prática a sua ideia de conceder a emancipação à Argélia (julho de 1962), apesar da oposição da organização terrorista Organização do Exército Secreto e dos colonos franceses. A sua política exterior caracterizou-se por consolidar a independência francesa em relação aos organismos internacionais e por promover a união dos países europeus. Em 1965, De Gaulle venceu na segunda volta das eleições presidenciais ao candidato da esquerda, Mitterrand. Em 1967, a esquerda recuperou-se nas eleições legislativas, e no ano a seguir, durante a revolução dos estudantes, De Gaulle obteve a maioria numas eleições antecipadas. Em abril de 1969, foi derrotado em um referendo, o que provocou a sua retirada da vida política. Escreveu Memórias de Guerra (1954-1959), de notável interesse para a história da II Guerra Mundial e Memórias de Esperança (1970).

Subir