> Galería de Fotos (1 elementos)


1 Medias
   > Mais apontamentos sobre...
   > Edupédia
   > Artigo relacionado

Idade Contemporânea
Imprimir
A Primeira Guerra Mundial: causas e consequências

Você sabia que o balanço final da Primeira Guerra Mundial supera os oito milhões de mortos e que houve mais de sete milhões de feridos ou desaparecidos?

Em princípios do século XX, a paz na Europa se viu ameaçada por importantes rivalidades econômicas e territoriais. O afã de possuir colônias desencadeou uma corrida imperialista. Além disso, os conflitos relacionados com os nacionalismos, sobretudo nos Balcãs, contribuiram para criar instabilidade.

Como pouco a pouco as rivalidades foram aumentando, formaram-se duas alianças: a Tríplice Aliança, formada pela Alemanha, o Império austro-húngaro e a Itália; e a Tríplice Entente, integrada pela França, Grã-Bretanha e Rússia. O assassinato de Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco, em junho de 1914 por mãos de um estudante sérvio, marcou o início da Primeira Guerra Mundial, também conhecida como a Grande Guerra. Em julho desse mesmo ano, o Império austro-húngaro, pressionado por Guilherme II da Alemanha, declarou guerra à Sérvia.

As primeiras batalhas revelaram a necessidade de ter aliados. O Império Turco e a Bulgária apoiaram a Tríplice Aliança, enquanto Romênia, Grécia, Portugal, Japão e Estados Unidos, entre outros, se uniram à Tríplice Entente.

Foram quatro anos de duros combates, levados a cabo com material bélico novo, como gases asfixiantes ou submarinos. Após a vitória da Tríplice Entente e seus aliados foi firmado o Tratado de Versalhes (1918). As medidas mais importantes que se adotaram foram a criação de um novo mapa da Europa, com novos países como a Hungria; a criação da Sociedades das Nações (precedente da ONU); e a imposição de duras sanções à derrotada Alemanha.

> INVESTIGA

Você conhece as principais inovações armamentistas da Primeira Guerra Mundial?



Subir